segunda-feira, 25 de outubro de 2010

PASSIONAL


Mesmo contrariada, Vanessa seguia Roger por entre as lápides encardidas e mal conservadas de um antigo e decadente cemitério rural. A elegância de suas roupas caras e impecáveis contrastava com o visual desleixado do rapaz. Quem observasse a cena dissonante daquele casal andando ao anoitecer por um local tão lúgubre, poderia fazer diversas conjecturas, mas dificilmente arriscaria supor que se tratava de marido e mulher debatendo sobre as mazelas de um divórcio iminente.
A verdade é que a moça já não suportava mais seu antigo cônjuge. Havia passado a odiar seu tom de voz macio e monótono, sua lerdeza de ação – que agora classificava como preguiça – e principalmente, sua total falta de disposição para assumir as responsabilidades de uma vida adulta alicerçada nos moldes que ela considerava ideais, ou seja, fundamentada no trabalho, mas regida pelo status social e pelo dinheiro, de preferência muito dinheiro. Foram essas razões que a levaram a observar Júlio – antigo amigo do casal – com outros olhos, a tal ponto de induzirem-na a aceitar o fato de que era muito mais coerente para com o estilo de vida que tanto almejava ser casada com um advogado promissor e oriundo de uma família tradicional do que com o João Ninguém com quem havia cometido o erro de trocar alianças. Como Júlio nunca foi muito eficiente em disfarçar a queda que sentia por Vanessa, bastou ela dar a devida abertura para que logo se construísse uma pequena aventura extraconjugal, que rapidamente converteu-se em um romance sério e regado por juras de amor sincero e, por fim, culminou em uma proposta de casamento, desde que, logicamente, ela se divorciasse de Roger primeiro.
E era por isso que ela havia se sujeitado a aceitar o pedido mórbido e bizarro feito por Roger para que visitassem aquele tétrico cemitério, porque ele havia prometido que assinaria o divórcio depois desse último passeio. Logicamente, ela achou a idéia muito estranha e desagradável, mas sabia que o antigo companheiro era dado a esquisitices e excentricidades, de modo que aquela inicialmente parecia ser apenas mais uma. Além disso, depois de todas as cenas constrangedoras que ele havia feito quando soube que ela e Júlio pretendiam ficar juntos, era mais do que necessário aceitar qualquer proposta para não deixar escapar a única oportunidade em que ele finalmente afirmara consentir com a separação. Para Vanessa, essa situação ganhava um tom de urgência ainda maior quando ela levava em conta os vários meses que Roger passou viajando, supostamente em algum lugar da serra catarinense, e de onde ela temeu que ele nunca mais retornasse para assinar os papéis que lhe deixariam livre para concretizar seu tão almejado sonho de ascensão social.
Porém, naquele momento já havia escurecido completamente e a perambulação por aquele cemitério ganhou contornos ainda mais arrepiantes quando eles chegaram diante de uma espécie de gruta onde havia um grande portão de ferro e Roger passou a insistir para que ela entrasse. Vanessa já estava consideravelmente irritada pela insistência do antigo companheiro em tentar denegrir de todas as maneiras possíveis o nome Júlio – buscando até mesmo antigas histórias do tempo de faculdade para desmerecê-lo – e aquela proposta sem pé e nem cabeça para que entrasse em uma gruta fedorenta e escura para que verificasse alguma suposta “surpresa” foi a gota d’água. Ela gritou, esperneou e disse que estava disposta a brigar pelo divórcio na justiça, mas que não entraria naquele buraco imundo de jeito nenhum. Foi nesse momento que Roger a agarrou pelo braço e praticamente a arremessou para o lado de dentro.
Enfurecida e amedrontada, Vanessa deu mais ênfase aos seus escandalosos protestos, mas Roger advertiu-a de que de nada adiantaria seu chilique, pois o responsável pelo cemitério havia sido subornado por ele para não se intrometer em uma alegada sessão de sexo fetichista que fariam ali e, como o local era ermo e isolado, ninguém mais ouviria seus berros.
A sensação de pânico que se apossava da moça aumentou ainda mais quando o facho de luz da lanterna trazida por Roger iluminou o corpo desacordado de Júlio caído em um canto da gruta. Temendo por sua vida e pela do amante desmaiado, Vanessa exigiu que Roger finalmente dissesse o que pretendia, e só então percebeu que a ameaça vinda do antigo cônjuge não era proveniente apenas de suas intenções sombrias e de suas atitudes rudes, mas sobretudo de algo no qual ele próprio estava se convertendo.
Quando o rapaz vociferou que naquele momento ele, a esposa e o antigo amigo voltariam a ficar juntos, sua voz gutural realçou a fisionomia horrenda que convertia sua face em algo monstruoso, e então Vanessa compreendeu, ainda que tarde demais, o que o marido quis dizer quando afirmou que a temporada na serra catarinense havia sido transformadora. Depois disso, só lhe restou gritar. Primeiro de pavor, e em seguida de dor e agonia quando as mandíbulas bestiais do monstro rasgaram sua carne macia e macularam suas roupas finas e caras com o sangue viscoso que fluía de seu corpo dilacerado.

*NOTA AO LEITOR: Este texto faz parte de uma parceria idealizada pelo amigo escritor Armin Daniel Reichert, onde nós dois escrevemos versões alternativas e complementares para o conto intitulado Passional, sendo que ambas estão sendo publicadas simultaneamente em nossos respectivos blogs. Para conhecer a outra versão, acesse agora mesmo o Geada Negra!

Lançamento do livro NA PRÓXIMA LUA CHEIA em Ilópolis - RS



Local: Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Ilópolis - RS
Data: 30/10/10
Horário: 17 horas
Preço do livro: 20,00
Promoção de Lançamento: Todos que adquirirem o livro ganharão como brinde um exemplar do Odisséia nas Sombras, primeiro romance do autor.

Nos vemos lá!

\o/

sábado, 23 de outubro de 2010

Onde adquirir o livro NA PRÓXIMA LUA CHEIA


O livro Na Próxima Lua Cheia (Literata/Estronho, 2010) já está à venda em diversos sites com diferentes possibilidades de pagamento e até algumas promoções bastante vantajosas. Confira as principais opções:

* Na Livraria Cultura

* Na Loja do Selo Estronho, autografado e com frete grátis

* Na Loja Estronha também está disponível o kit contendo os livros Na Próxima Lua Cheia + Draculea II - O Retorno dos Vampiros, por apenas R$ 35,00 e frete grátis

* O livro ainda pode ser adquirido diretamente com o autor por e-mail (bozzettojunior@yahoo.com.br) autografado e com frete grátis

Adquira já o seu exemplar!

\o/

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O SÉTIMO*

Por Georgette Silen, autora convidada do mês de outubro;


- Sete crias ela pariu/Sete machos ela amamentou/O primeiro Deus chamou/Quando o sétimo vingou...
Olhos vítreos o fitavam envolvidos pelo incenso fumarento. O rosto amarelado se retorcia diante das visões.
- Sem o primogênito para abençoar/Mortos os dedos a banhá-lo na pia/O sétimo cumprirá a sina/Eternamente viver para matar!
Abandonou a tenda, horrorizado, atirando a esmo as gastas moedas como pagamento. Ainda ouviu atrás de si as sílabas ocas, como o grasnar dos corvos em luta pela carniça.
- Sete dias... De hoje a contar... – os ecos o acompanharam enquanto corria em direção ao rio. Os olhares alheios não importavam. Mergulhou como alguém que estivesse se afogando e buscasse o ar. De sua boca gritos brotaram na forma de bolhas mudas, insensíveis a dor, ao sofrimento.
A chuva banhava seu corpo magro e esguio quando alcançou a margem, exausto. Mas a mente se recusava a parar, enquanto as gotas frias o açoitavam feito adagas cortantes contra a pele. Mirou a lua crescente, teimosa, que insistia em se mostrar, rasgando a força o temporal. Exibindo um sorriso zombeteiro no breu absoluto.
- Deus...! – chamou baixo, no sussurro de um moribundo.
O relâmpago claro foi sua única resposta.
A escuridão era constante ali. Dia e noite perdiam qualquer sentido. Grossas pedras seculares envolveram seu corpo e o frio que sentiu não era o da umidade reinante. Vinha de seu coração, que bombeava gelo pelas veias.
Filetes d’água escorriam pelas frestas entre as pedras do chão, molhando seus sapatos e meias. Estacou diante das grossas grades de ferro. O olhar que a recebeu por de trás delas era de censura.
- Eu preciso vê-lo. – a mulher sussurrou, afligindo os dedos contra a ferrugem.
- Vá embora! – olhos severos intensificavam o timbre de comando – Não devia estar aqui! Não hoje!
- Não interessa! Eu tenho que vê-lo. – a voz subiu uma oitava – Não pode me impedir. É meu direito!
- Acha que o direito dos homens vale algo aqui? – a mão grossa puxou o capuz que cobria a cabeça, revelando o semblante carregado... Preocupado – Saia daqui Ana! Pela graça de Deus, é tarde demais!
- Não! – gritou, ecoando seu lamento entre pedras surdas – Por favor, Michael! É seu irmão! É meu noivo! – a mão branca agarrou a dele através das grades, como uma coruja que ceifa a presa – Deixe-me olhar para ele... Eu imploro! Ainda é cedo... Michael! – unhas se cravaram no punho moreno e o brilho esmeralda dos olhos dela o cegou – Por favor...
A pesada porta de ferro rangeu com o esforço. O som fez a cabeça encolhida se voltar, surpreso. Uma tocha iluminou o lugar. Era a primeira vez que isso acontecia em... Quanto tempo? Mente e corpo já não sabia mais. Mas reconheceram o cheiro que o atingiu. Familiar, doce, querido, amado.
- Ana... – não precisou ver para saber.
O toque carinhoso o fez recuar, assombrado. Trapos mal cobriam o seu corpo. O fedor acre do ambiente poluído o envergonhou e se afastou sombrio, recuando para a parede fria. Arrastando consigo as imensas correntes presas nas juntas. Ouviu o salto do coração dela, alto como um sino dominical.
- J-Jean... – ela balbuciou entre lágrimas, tentando se aproximar.
- O que está fazendo aqui, por tudo o que é sagrado?! – o horror tingia suas palavras, que ele quis que fossem duras, ásperas.
Ana engoliu em seco, mas não recuou. Avançou num passo firme, envolvendo o corpo quente que tentava fugir ao seu abraço.
- Não Jean, não! Não fuja! – pediu, esforçando-se para deixar o medo de lado, não ver as marcas das garras nas paredes, as plastas de sangue ressecado nos grilhões que o prendiam, a destruição ao seu redor. Sufocou qualquer outro sentimento. Ela tinha que estar ali - Por favor... Eu... Precisava vir... Não me rejeite...
O pedido sofrido calou sua determinação, enfraqueceu sua tenacidade. Colou o corpo ao dela, corroído pela saudade. Por um momento se deixou levar como uma folha ao vento. Até que a realidade barrou a brisa fresca, como uma janela que se fecha abruptamente num baque alto.
- Ana, você tem que ir! – mirou os olhos verdes que se desmanchavam em rios pelo rosto alvo – Eu não posso... Não pode mais vir aqui! Prometa-me! – rugiu feroz, segurando seus ombros com força – Nunca mais venha aqui!
- Não me peça isso, Jean! – a determinação selvagem na voz dela o fez piscar incrédulo.
- Ana, não entende? É perigoso! – a agonia apertou sua garganta – Eu sou um monstro! Um demônio!
- Não! – colocou as mãos em seu rosto, forçando-o a olhá-la – Você é um homem. O homem que eu amo! E me recuso a viver longe de você, custe o que custar! Minha vida não vale nada sem isso. – a boca tentou alcançar a dele, que fugiu.
- Pelo amor de Deus, não diga mais nada! – virou-se sem fôlego para a parede grossa. Espasmos percorreram seu corpo – Faz idéia do que tudo isso significa? – apontou o próprio peito, quando tornou a olhá-la – Não sou mais merecedor do amor de ninguém! Meu destino é um só: uma sina maldita! – contrações envolveram seu estômago, o coração acelerando entre as costelas rijas, como um rufar de tambores de guerra – Sou uma besta, e toda besta tem que ficar trancafiada! Longe de tudo! De todos!- agarrou-a pelos ombros - Vá embora daqui! – a mão a empurrou, contra a vontade da alma e do coração – Michael! – gritou, sentindo as primeiras pontadas da dor – Tire-a daqui! – torceu o corpo agoniado de encontro ao chão – Michael! Está na hora! Tire-a daqui! – a dor no maxilar, que se abria em ângulos absurdos, truncava suas palavras num ronco abafado – Urgh!
O corpo todo convulsionou nesse momento, caído de joelhos. Correntes de fogo amarraram seus músculos, forçando-os a romperem os elos incandescentes num movimento expandido, crescente. O corpo em farrapos aumentava de volume a olhos vistos. As fibras da pele se retesaram como flechas em arcos, exibindo as veias azuladas como serpentes venenosas que se contorciam umas sobre as outras. Sons agudos, guturais, escorriam dos lábios que rachavam em fissuras no ritmo da metamorfose alucinada. Tufos de pêlos tomavam posse da pele morena, deformada e em constante mutação, e os olhos reviravam ao ritmo da respiração irregular, desenfreada. A mente começou a toldar, enquanto os instintos tomavam o controle, brindando entre uivos e rosnares a satisfação da libertação. Os grilhões afrouxaram das paredes com um estalo fino.
- Michael!!! – a voz já inumana gritou uma última vez, desesperado. Olhos injetados de ódio e dor se fixaram na forma feminina a sua frente, serena e decidida em sua postura, que assistia a tudo ao lado da porta aberta.
- Ele não virá. – falou como quem sussurra de um sonho – Michael nunca me deixaria entrar aqui... Não com vida... – lentamente avançou para ele, com passos medidos, sem nenhuma culpa no semblante. As pupilas vermelhas, emolduradas por grossos pêlos retintos de negro, saborearam a carne que se apresentava em sacrifício – Eu disse Jean, me recuso a viver sem você. Custe o que custar...
O estalido alto de ferro sendo rompido ecoou, as correntes partindo como gravetos secos ao vento. Mas os sons foram abafados pelo rugido feroz da besta-fera...
A lua plena diluía em azul prateado as imagens pintadas pela noite. A palheta notívaga abrigava tons, formas, cheiros... E sons!
O uivo borrou o verniz da tela, manchando a pintura da natureza. A forma veloz corria, rompendo distâncias e barreiras como quem acende uma chama. Entre um piscar e outro algum desavisado andarilho cruzava seu caminho. E mais sangue coloria em rubros tons os pelos agitados pela fria monção, respingando ao solo em gotas que escorriam dos dentes afiados, brancos como marfim caro.
A negra criatura contornou as árvores, se deparando com o fosso do penhasco. Olhos vermelhos se fixaram na lua cheia. Elevou-se nas patas traseiras. E uivou. Sem descanso, sem culpas...
À distância outros responderam. O lamento das crianças da noite. As orelhas pontiagudas reagiram de imediato ao chamado e o passo veloz saltou rochas, rasgou arbustos, afundou no breu seguindo o curso do som. A lua vigiava.
E o sétimo se foi, em busca de sua alcatéia...

* Conto publicado originalmente na antologia Metamorfose - A Fúria dos Lobisomens (All Print, 2009).

Georgette Silen tem 39 anos, nascida em Caçapava-SP. Arte educadora, é autora do livro Lázarus, publicado pela editora Novo Século em 2010. Organizou as antologias O Grimoire dos Vampiros e UFO- Contos Não Identificados, pela Editora Literata, além de participar de várias outras obras como coautora em diversas editoras, entre elas Metamorfose - A Fúria dos Lobisomens.
Contatos com a autora: missgette@yahoo.com.br
Para conhecer seus outros trabalhos acesse http://sagalazarus.blogspot.com e http://georgettesilen.blogspot.com
Twiter: @georgettesilen

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

DIÁRIO DA LUA CHEIA – 02


E o dia chegou. Na manhã de sábado, 16 de outubro, desembarquei em São Paulo para o tão aguardado lançamento do meu segundo romance (primeiro sobre lobisomens), intitulado Na Próxima Lua Cheia, que ocorreria na parte da tarde na livraria Martins Fontes da Avenida Paulista, juntamente com o lançamento da antologia Draculea II – O Retorno dos Vampiros, organizada por Ademir Pascale.
Felizmente a previsão do tempo errou feio e não choveu nem um milímetro durante a manhã, de forma que pude visitar a Galeria do Rock e perambular pela Avenida Paulista antes de ir para o hotel me preparar para o evento.
Quando cheguei à livraria Martins Fontes, de cara considerei-a muito acolhedora e aconchegante, ainda que o espaço tenha se revelado quase pequeno demais para eventos deste porte, pois em certos momentos o ambiente estava tão lotando que era até difícil se locomover entre as pessoas. Sinal de que havia também um grande público prestigiando os lançamentos!
Na ocasião tive a satisfação de rever e conversar com o simpático casal formado por Elenir Alves e o organizador Ademir Pascale – que escreveu a apresentação do meu livro – bem como Adriano Siqueira – autor do texto de orelha do Na Próxima Lua Cheia – e também trocar algumas idéias com vários colegas da antologia Draculea II que se fizeram presentes.
Pude conhecer pessoalmente o descontraído Eduardo Bonito, editora da Literata, a dupla William e Rogério, do interessantíssimo blog Arena Fantástica e também os carismáticos escritores Alfer Medeiros e Georgette Silen que se fizeram presentes para prestigiar os lançamentos. Com a presença de tanta gente legal e de inúmeros leitores o resultado só poderia ser um: sucesso!
Impossível não destacar também o fato de eu ter ficado realmente tocado com a presença de leitores que disseram conhecer o meu trabalho através do blog Escrituras da Lua Cheia e da comunidade Filmes de Lobisomem do Orkut e que encararam horas de trânsito para se deslocar de São Bernardo do Campo, São Caetano e Praia Grande especialmente para participar do evento e adquirir seus exemplares autografados do Na Próxima Lua Cheia. São momentos como esse que nos motivam a procurar escrever cada vez mais e melhor.
Quase no apagar das luzes, chegaram os queridos amigos Iam Godoy e R. Raven, dos prestigiado site de cultura underground Raven’s House Brasil e, na companhia deles e de Alfer Medeiros, pude terminar o dia de forma extremamente divertida, batendo um papo descontraído e bebendo algumas cervejas geladas em um bar qualquer da Avenida Paulista. Melhor impossível!
Concluo essa atualização do blog parabenizando o organizador Ademir Pascale e os coautores do Draculea II e agradecendo aos colegas de antologia e a todos os leitores pela presença e receptividade. Minha gratidão também ao Eduardo Bonito que tratou de todos os tramites burocráticos que cabiam à Editora Literata para viabilizar a minha participação no evento.
Lembro também aos visitantes do blog que o livro Na Próxima Lua Cheia já está disponível para a venda na Loja do Selo Estronho por apenas R$ 25,00 com frete incluso (promoção de lançamento), podendo ainda ser adquirido diretamente comigo através do e-mail bozzettojunior@yahoo.com.br.
Valeu!










segunda-feira, 11 de outubro de 2010

RESULTADO DA PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO!


Prezados leitores,

Quero inicialmente agradecer a participação de todos e dizer que fiquei contente com as palavras de apoio e incentivo deixadas nos comentários. O único objetivo deste blog é compartilhar textos sobre lobisomens com outras pessoas que sejam tão fãs das criaturas licantrópicas quanto eu, e isso não faria muito sentido sem a participação de vocês.

Sem mais delongas, anunciamos que a vencedora do sorteio – que receberá exemplares autografados dos livros Na Próxima Lua Cheia e Metamorfose – A Fúria dos Lobisomens – foi: Tânia Souza.

Entrarei em contato para combinarmos o envio dos exemplares.

Porém, aqueles que não foram sorteados não devem se aborrecer, pois aproveito para lembrar que o livro já está sendo comercializado com preço promocional na Loja do Selo Estronho, por apenas R$ 25,00, autografado e com frete incluso. Quem preferir, pode solicitar um exemplar diretamente comigo por e-mail (bozzettojunior@yahoo.com.br) e ainda ganhar um brinde surpresa ;)

E não se esqueçam: faltam apenas cinco dias para o lançamento!

Valeu!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

DIÁRIO DA LUA CHEIA – 01


24 de setembro de 2010. Foi nesse dia que pude finalmente ter em mãos um exemplar do Na Próxima Lua Cheia, meu mais novo livro. Quase um ano se passou desde que eu concluí a escrita do texto até o momento em que chegou aqui em casa um lote de exemplares enviados pela editora Literata. Nesse meio tempo, pude testar a minha própria paciência até praticamente os limites do que me é tolerável, aprendi muitas coisas – boas e ruins – sobre o atual panorama do mercado editorial brasileiro, conheci algumas pessoas das quais gostaria de nunca mais ter notícias, e outras tantas que passei a admirar e respeitar, com as quais pretendo manter contato sempre que possível.
No final do ano passado assinei contrato com uma editora que parecia ter uma proposta promissora, mas que apenas me fez ficar esperando em vão por meses e meses. Depois de ter se passado praticamente o dobro do tempo que havia sido previamente combinado para a publicação do livro sem que absolutamente nada de concreto tivesse sido feito, a minha paciência se esgotou e eu pedi a rescisão do contrato. Assim, em julho de 2010 eu já estava pronto para recomeçar a peregrinação em busca de uma editora que estivesse interessada em publicar o meu trabalho sem cobrar para isso, quando o escritor Marcelo D. Amado – que eu havia convidado para escrever o prefácio do Na Próxima Lua Cheia ainda em 2009 – me informou que tinha acabado de criar o Selo Estronho e estava disposto a publicar o meu livro através de uma parceria com a editora Literata.
Desta maneira, finalmente o meu material foi parar nas mãos de pessoas que trabalham com seriedade e profissionalismo, respeitando o autor e tratando-o com consideração, e não como mero instrumento para se ganhar dinheiro. Feito isso, tudo transcorreu rapidamente, compensando a inércia anterior, e ainda me dando a oportunidade de convidar dois escritores que respeito e admiro muito para participar da obra, sendo eles Ademir Pascale e Adriano Siqueira, que escreveram respectivamente a apresentação e o texto de orelha do livro.
E agora os lobisomens sulistas estão prontos para colocar as garras de fora! No dia 16 de outubro, na Livraria Martins Fontes de São Paulo/SP o livro será finalmente lançado. Faltam menos de dez dias! Cuidado com a lua!

sábado, 2 de outubro de 2010

PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO DO BLOG!


Prezados leitores,

Conforme anunciado na atualização de ontem, iniciaremos hoje a promoção de aniversário do blog Escrituras da Lua Cheia que vai dar ao ganhador um kit formado por um exemplar autografado do livro Na Próxima Lua Cheia + um exemplar da antologia de contos Metamorfose – A Fúria dos Lobisomens.

Para participar é muito simples: basta estar seguindo o Twitter da Lua Cheia e deixar um comentário aqui mesmo neste post, contendo inclusive o seu e-mail para que possamos entrar em contato caso você seja o vencedor do sorteio.

Atenção: a promoção é válida apenas até o próximo sábado, dia 09/10. Depois disso divulgaremos o nome do vencedor aqui no blog e entraremos em contato pelo e-mail fornecido. Se o ganhador não se manifestar em até três dias, um novo sorteio será realizado. Boa Sorte!

Na Próxima Lua Cheia
Autor: André Bozzetto Junior
Editora: Literata, em parceria com o selo Estronho
Páginas: 122
ISBN: 978-85-63586-07-0
Prefácio: M. D. Amado
Apresentação: Ademir Pascale
Texto introdutório: Adriano Siqueira
Sinopse: Obcecado em desvendar a verdade por trás de uma história antiga e obscura narrada por seu pai no leito de morte, Lucas decide partir na companhia de dois amigos em uma viagem a um lugarejo remoto no interior da região serrana do Rio Grande do Sul. Chegando ao seu destino, ele descobre que há um alto preço a ser pago pelos segredos revelados, pois quando surge a lua cheia, o trio de amigos se vê diante de horrendas criaturas dispostas a manchar de sangue os tons sombrios da noite. Prepare-se para embarcar em uma viagem repleta de suspense, terror e reviravoltas ao acompanhar uma sinistra história sobre vingança e lobisomens que culmina em um final surpreendente e impactante.

Metamorfose – A Fúria dos Lobisomens
Organizador: Ademir Pascale
Editora: All Print
Páginas: 200
ISBN: 8577185389
Prefácio: J. Modesto
Sinopse: Poderia uma maldição mudar o rumo da história da humanidade? Por que há tantos relatos dos homens lobos em épocas e lugares diferentes? Publius Ovidius Naso (43 a.C – 17 d.C) escreveu a obra Metamorphoses, na qual cita as transformações de homens em animais, incluindo o rei Licaão em lobo. Ovidius influenciou William Shakespeare, John Milton, Dante Alighieri, Benjamin Britten, Cruz e Silva e tantos outros ao longo de dois milênios. Aventure-se nestas páginas, mas tenha cuidado ao lê-las nas noites de lua cheia...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OUTUBRO: O MÊS DO LOBO


Caros leitores

É com satisfação que atualizo o blog com esta postagem que marca o início do mês de aniversário do Escrituras da Lua Cheia. E outubro será um mês especial em diversos sentidos.

Primeiramente, porque esse momento marca a consolidação deste humilde blog, que ao longo de sua curta existência já publicou até o momento 30 contos de minha própria autoria e mais 11 de autores convidados, sendo que o 12º – escrito por Georgette Silen – vai ao ar em breve. Basta uma rápida pesquisa em qualquer site de busca para que se constate que nenhuma outra página da internet brasileira produziu tanto material de teor licantrópico quanto o Escrituras da Lua Cheia, e acredito que esse esforço em divulgar a literatura relacionada aos lobisomens está sendo reconhecido, pois até aqui já tivemos mais de 10.000 visitantes únicos, o que pode parecer pouca coisa para um site ou blog de vampiros, mas é um número bastante expressivo quando se trata dos licantropos, que nunca estiveram na moda e jamais puderam contar com as grandes mídias a seu favor.

Em segundo lugar, outubro também será especial para mim por ser o mês do lançamento do meu primeiro livro sobre lobisomens, intitulado Na Próxima Lua Cheia, e que será lançado no dia 16, na livraria Martins Fontes, em São Paulo – SP (veja reprodução do convite abaixo) através de uma parceria entre a editora Literata e o selo Estronho.



E por falar no livro, mais novidades sobre ele e sobre o lançamento serão postadas periodicamente aqui no blog através de uma nova seção denominada Diário da Lua Cheia, que irá ao ar paralelamente à publicação dos contos e textos habituais do blog.

Por fim, aproveito para comunicar aos leitores que amanhã começará a vigorar aqui no Escrituras da Lua Cheia uma promoção que dará ao vencedor um kit composto por um exemplar autografado do Na Próxima Lua Cheia + um exemplar da antologia Metamorfose – A Fúria dos Lobisomens.

Fiquem de olho nas novidades... E cuidado com a lua!