terça-feira, 20 de setembro de 2011

UM ESTRANHO PRISIONEIRO

Da série Minicontos Licantrópicos


Todos os prisioneiros sabiam o que lhes aguardava ao serem capturados por aquela corja de piratas: serem vendidos como escravos para algum magnata do leste, ou serem executados e jogados ao mar. Por isso, era compreensível que enquanto estivessem no calabouço passassem todo o tempo especulando sobre possibilidades de fuga ou chorando em desespero pela ausência delas. A imensa maioria agia dessa forma, com exceção de um único detento: aquele sujeito esquisito que foi capturado por último. Desde que ele chegara à prisão, passou todas as suas horas mergulhado em um silêncio impassível e indiferente, que em nada combinava com a postura histérica e agressiva dos demais cativos.
Porém, tudo mudou cerca de duas semanas após a sua chegada. Assim que anoiteceu, ele levantou-se do canto onde geralmente permanecia sentado e começou a chamar pelos carcereiros. Tão logo um deles apareceu, o estranho enfiou sua mão por entre as grades e o atingiu com um soco, soltando uma gargalhada logo em seguida.
Furioso, o pirata agredido pediu a ajuda de um companheiro e arrastou o prisioneiro rebelde para fora da cela. Era evidente que os carcereiros pretendiam espancá-lo com toda a brutalidade que sua petulância merecia. Contudo, ali mesmo, no corredor da prisão, algo inacreditável aconteceu. Com um urro enregelante, o estranho se desvencilhou de seus agressores e deu vazão a uma metamorfose que o transformou em um monstro enorme e horrendo.
Sem dificuldades, a criatura destroçou a dupla de piratas antes mesmo que eles pudessem desembainhar suas espadas, para em seguida tomar as escadas e partir para o andar superior da antiga fortaleza.
Ouvindo os gritos de dor e desespero que vinham lá de cima, pela primeira vez os demais prisioneiros sentiram-se gratos por estarem trancafiados e protegidos por detrás das grades de suas celas imundas.

sábado, 17 de setembro de 2011

DIÁRIO DA LUA CHEIA – 06


Boa noite, amigos leitores!

Na seção Diário da Lua Cheia de hoje irei postar algumas fotos e relatar brevemente minhas impressões sobre o lançamento do livro JARBAS em Pinhalzinho – SC, ocorrido ontem.

Em síntese, posso afirmar que foi um momento bem agradável. Fizeram-se presentes diversos amigos, familiares, colegas de trabalho, alunos e várias pessoas que eu ainda não conhecia, mas que foram ao lançamento atraídas pela divulgação do evento e pelo interesse em adquirir o livro. As vendas também foram bem expressivas, superando inclusive os números da noite de autógrafos do Na Próxima Lua Cheia – realizada no ano passado –, o que sempre pode ser encarado como algo positivo. Inclusive, várias pessoas afirmaram que estavam adquirindo seus exemplares do Jarbas em função de terem lido o meu livro anterior de forma descompromissada e gostado da experiência, se sentido assim instigadas a comprar o novo também.

Destaco aqui que muitos dos presentes manifestaram sua admiração com o capricho da diagramação e a qualidade gráfica do livro, além de terem se mostrados simpáticos à idéia de poderem levar para casa dois marcadores exclusivos e um botom colecionável do personagem Jarbas. Méritos à Editora Estronho.

Aproveito para agradecer à Administração Municipal que novamente cedeu o espaço da Biblioteca Pública para a realização do evento e ofereceu o coquetel que foi degustado pelos presentes em meio a agradáveis bate-papos literários. Expresso minha gratidão também a todos que compareceram e contribuíram para tornar a ocasião tão marcante e especial.

Valeu!

\o/











quinta-feira, 8 de setembro de 2011

ACERVO LICANTRÓPICO

Olá, amigos! Para diversificar um pouco as postagens habituais, hoje vou disponibilizar por aqui algumas fotos da minha coleção de filmes de lobisomem em DVD e Blu-ray, nacionais e importados. São filmes especificamente sobre lobisomens ou que contenham a participação de lobisomens, mesmo que na posição de coadjuvantes. Ainda faltam alguns, mas a maioria está aí. Confiram:
















































\o/